O que se lê na imprensa....

Assuntos gerais relacionados com autocaravanismo.

Re: O que se lê na imprensa....

Mensagempor time_out » sábado mai 22, 2021 11:58 am

Costa Vicentina no corredor da morte

Alguns partidos na AR defendem a ideia de voltar atrás na lei, abrindo de novo Portugal a uma invasão de autocaravanas e vans adaptadas sem que o país esteja minimamente preparado para este turismo.

Não é novidade para ninguém, a polémica que tem existido em torno do campismo e caravanismo selvagem que tem assombrado todo o país e em particular a Costa Vicentina.

Finalmente, depois de muita pressão das populações locais e de alguns comentadores televisivos, a Assembleia da República legislou e criou o decreto-lei n 102-B/2020 art. 50, que proíbe a pernoita e aparcamento de autocaravanas ou veículos similares em locais não autorizados para o efeito. Lei essa, em vigor desde 8 de janeiro deste ano, indo assim ao encontro da necessidade urgente de combater os danos causados pelo campismo e caravanismo selvagem.

Com muita apreensão, e menos de seis meses depois, vejo agora alguns partidos na Assembleia da República defenderem a ideia de voltar atrás nesta matéria com propostas de alteração ao decreto-lei supra citado, abrindo assim, de novo, Portugal a uma invasão de autocaravanas e vans adaptadas sem que o nosso país esteja minimamente preparado para este tipo de turismo.

Gostaria de ressalvar que não sou contra o caravanismo responsável e reconheço a diferença entre o autocaravanista e aquele que tem uma van adaptada sem quaisquer condições. Importa mesmo distinguir estas diferenças, pois acredito que aqui está a causa do problema.

Com efeito, existem dois tipos de praticantes de caravanismo. O caravanista responsável, que pratica caravanismo com regularidade, que viaja pelo mundo na sua autocaravana com todas as condições, incluindo casa de banho, estando homologada. O autocaravanista que conhece e respeita as leis. Este, por norma, gosta e procura qualidade e conforto, fica em parques destinados a autocaravanas, quando estaciona tem respeito pela manutenção das distâncias mínimas necessárias à boa e fácil circulação de outros veículos e peões, não ocupa, por norma, o espaço exterior à autocaravana com qualquer elemento de campismo (toldo, mesa, cadeiras, fogareiros, etc.), faz a descarga das águas utilizadas (águas cinzentas e negras) nos locais apropriados, tais como áreas de serviço dedicadas às autocaravanas, garantindo a boa higiene final do espaço utilizado.

Em oposição, há outro tipo de caravanista que, infelizmente, é o que mais procura o nosso país. Estamos a falar de pessoas com vans adaptadas, sem casa de banho, sem condições, que procuram o melhor pelo menor preço possível, pessoas que em nada contribuem para o nosso turismo, que se pretende de qualidade.

Quem frequenta a Costa Vicentina sabe que é regular a presença de centenas de autocaravanas, caravanas e vans parqueadas nas arribas e estacionamentos das praias do Parque Natural, em zonas protegidas que, normalmente, são utilizadas como casas de banho num autêntico esgoto a céu aberto onde o papel higiénico e as toalhitas se acumulam nas dunas e veredas do Parque Natural da Costa Vicentina e Sudoeste Alentejano. Falo também das fogueiras descontroladas, garrafas de vidro e plástico pelo chão e toda a espécie de lixo a que, infelizmente, nos habituámos a ver. Mesmo as autocaravanas que têm todas as condições, em concelhos como o de Aljezur e Vila do Bispo, que não estão preparados com equipamentos para os autocaravanistas, é frequente vê-los a despejar, enquanto circulam, num rasto de dejetos (mesmo que tratados quimicamente) que são despejados em pleno Parque Natural da Costa Vicentina e Sudoeste Alentejano.

Do ponto de vista económico, este turismo não segue o circuito de estabelecimentos licenciados, aqueles que empregam pessoas, pagam taxas e impostos e geram riqueza ao país. Por norma, compram comida num hipermercado onde gastam o mínimo possível e param a sua autocaravana nos estacionamentos das praias durante 15 dias, sem pagar nada por isso, fazendo das mesmas e do nosso parque natural autênticos bairros de lata, tal é a quantidade de carrinhas que se juntam num verdadeiro festival freak.

Usam e abusam do nosso país de forma gratuita, não gerando receita para os nossos cofres e destruindo um dos maiores patrimónios que a natureza nos deu.

É triste ver empresas portuguesas e estrangeiras venderem Portugal como o paraíso do caravanismo selvagem. Isto, associado à falta de condições e instalações apropriadas e a uma lei e fiscalização ineficiente, vão acabar por “matar” o autocarvanismo responsável e de qualidade que verdadeiramente interessa ao nosso país, bem como o Parque Natural da Costa Vicentina e Sudoeste Alentejano.

Alterar o Artigo 50 antes que Portugal esteja preparado para receber uma invasão de autocaravanas, caravanas e vans adaptadas, nacionais e dos países vizinhos, não é uma atitude competente. É apenas olhar para o lado e deixar a nossa costa morrer.

In o Observador
https://observador.pt/opiniao/costa-vicentina-no-corredor-da-morte/
time out

Hymer B SL614
(Sintra - Portugal)
Avatar do Utilizador
time_out
 
Mensagens: 1172
Registado: domingo nov 13, 2005 7:48 pm
Localização: Entre Belas e Sintra

Re: O que se lê na imprensa....

Mensagempor José Duarte » sábado mai 22, 2021 7:41 pm

Boa tarde
Mais uma vez reafirmo, que não pague o justo pelo pecador.
As autoridades deviam penalizar os incumpridores. Não é colocar tudo no mesmo saco.
Em qualquer via na qual um condutor seja penalizado, os outros que o seguem também vão sofrer o mesmo? Claro que não. Então!
Para mim é ridículo a proibição de pernoita numa AC; que reúne todas as condições de habitabilidade. Como é óbvio cumpra as regras do bom viver.
Saudações
José Duarte
José Duarte
 
Mensagens: 130
Registado: domingo mai 04, 2014 2:05 pm
Localização: Linda-a-Velha

Re: O que se lê na imprensa....

Mensagempor caraujo » domingo mai 23, 2021 9:21 am

Bom dia a todos,
O desconhecimento dá neste tipo de afirmações, o mesmo se passa das pessoas que vão falar para a televisão sobre este assunto sem conhecimento de causa.
Ninguém está contra a aplicação da lei, como ela sempre existiu, ou seja, campismo selvagem é proibido.
O problema é que as forças de segurança não faziam cumprir a lei, por desconhecimento, falta de vontade, preguiça, ou sei lá. Esta mudança da lei abriu uma caixa de Pandora e teve muita publicidade, o que fez com que as forças de segurança se vissem forçado as a fazer aquilo que antes não faziam.
Só mais uma palavrinha aos pseudo defensores do PN da Costa Vincentian, o engraçado é que quem vem fazer barulho não são aqueles que lá vivem todo o ano e dependem da sua economia local...todo ano para sobreviver, mas sim aqueles que vêm de fora, compraram lá as suas brutas vivendas e com isso fizeram disparar a construção civil desenfreada e sem regras, como se vê em Porto Corvo, que é uma autêntica vergonha urbanística...senhores esses, que só trazem dinheiro à economia local, meia dúzia de meses por ano, é que fazem o barulho.
Um abraço
Carlos Araújo
Andrade Rigel 740
Avatar do Utilizador
caraujo
 
Mensagens: 231
Registado: sábado jul 24, 2010 4:21 pm
Localização: Póvoa Santa Iria / Lisboa

Re: O que se lê na imprensa....

Mensagempor time_out » terça mai 25, 2021 5:08 pm

Avis: Câmara lança concurso para construção Parque de Autocaravanas do Maranhão

O Município de Avis, no distrito de Portalegre, lançou recentemente o concurso público para a construção de um equipamento direcionado para o autocaravanismo.

O procedimento agora lançado refere-se à empreitada de construção do Parque de Autocaravanas do Maranhão, tem um valor base de 135.409,20 euros e prevê um prazo de execução de 120 dias.

Segundo a autarquia, a construção deste novo equipamento surge porque “trata-se de um local de eleição para autocaravanistas, no entanto não possui as necessárias condições de acolhimento.”

Relativamente à obra, de acordo com os documentos a que tivemos acesso, este novo equipamento será construído “num amplo terreiro contíguo ao edifício da Junta de Freguesia e Posto Médico do aglomerado do Maranhão” e “prevê-se a delimitação de 8 espaços para pernoita e a construção de uma infraestrutura que permita o despejo e a limpeza dos WC das autocaravanas.”

in Diário Digital
https://odigital.sapo.pt/avis-camara-lanca-concurso-para-construcao-parque-de-autocaravanas-do-maranhao/
time out

Hymer B SL614
(Sintra - Portugal)
Avatar do Utilizador
time_out
 
Mensagens: 1172
Registado: domingo nov 13, 2005 7:48 pm
Localização: Entre Belas e Sintra

Re: O que se lê na imprensa....

Mensagempor time_out » domingo mai 30, 2021 8:56 am

Autocaravanismo no sudoeste alentejano e costa vicentina com novas regras

Nas novas áreas de serviço para autocaravanas fica interdita a prática de campismo e a pernoita não é permitida para além das 72 horas.

O Instituto de Conservação da Natureza e Florestas (ICNF) aprovou um conjunto de normas orientadoras que viabilizam a instalação de Áreas de Serviço de Autocaravanas (ASA) no sudoeste alentejano e costa vicentina. Esta foi a solução encontrada para travar a ocupação ilegal e descontrolada que ao longo dos últimos anos foi geradora de conflitos com as autarquias e populações costeiras, confrontadas com o excesso de lixo e estacionamento anárquico de autocaravanas em áreas protegidas.

Para superar uma imposição do Plano de Ordenamento do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina (POPNSACV), que interdita a prática de campismo e caravanismo fora dos locais para tal destinados e obriga a uma “autorização especial” do ICNF, as normas agora aprovadas deixaram de enquadrar as ASA nas tipologias de empreendimento turístico. Passam a constituir um “complemento aos parques de campismo e de caravanismo”.

As ASA correspondem a espaços sinalizados que integram uma ou mais estações de serviço, com espaços revestidos com materiais impermeabilizados que dispõem de escoamento de águas residuais, esvaziamento de WC químico com sistema de lavagem e despejo de cassetes sanitárias.

O apoio que passa a ser prestado por estes novos equipamentos compreende ainda o abastecimento de água potável e despejo de resíduos sólidos urbanos. São áreas com espaços devidamente equipados e infra-estruturados, que permitem a “manutenção e pernoita de autocaravanas por período não superior a 72 horas”.

A sua localização, contudo, está sujeita a vários condicionalismos. As ASA não podem ocupar Áreas de Protecção Total nem Áreas de Protecção Parcial do tipo I e do tipo II. Fica interdita a sua localização “na orla costeira, 500 metros a partir da linha da máxima preia-mar de águas vivas equinociais” e deve ser evitada a sua instalação em zona costeira, dois quilómetros a partir da linha da máxima preia-mar de águas vivas equinociais, como estabelecem as normas aprovadas pelo ICNF.

Os terrenos a afectar deverão estar já infra-estruturados com ligação aos sistemas municipais de água, esgotos e rede eléctrica.

Os acessos deverão recorrer a percursos já existentes em “piso permeável ou semipermeável”, mas é admitida a abertura de novos acessos se não houver alternativa. Neste caso, a proposta deverá ser acompanhada por uma avaliação dos previsíveis impactes ambientais, “susceptíveis de afectar a conservação de habitats e de espécies da flora e da fauna” refere o normativo.

No interior de uma ASA não é admitida a instalação de áreas comerciais e está interdita a prática de campismo.

in Publico
https://www.publico.pt/2021/05/28/local/noticia/autocaravanismo-sudoeste-alentejano-costa-vicentina-novas-regras-1964511
time out

Hymer B SL614
(Sintra - Portugal)
Avatar do Utilizador
time_out
 
Mensagens: 1172
Registado: domingo nov 13, 2005 7:48 pm
Localização: Entre Belas e Sintra

Re: O que se lê na imprensa....

Mensagempor joao rafael santos » domingo mai 30, 2021 10:58 am

Nas novas áreas de serviço para autocaravanas fica interdita a prática de campismo e a pernoita não é permitida para além das 72 horas.

Acho muito bem que avancem com esta limitação das 72 horas . É mais que suficiente. Se não continuamos na mesma com o estacionamento abusivo, Onde os companheiros estão eu também quero estar, e isso só se consegue com a limitação das 72 horas, E para os prevaricadores é fácil ; Multas para cima deles.
Cumps. e bons passeios

João Santos.
joao rafael
Avatar do Utilizador
joao rafael santos
 
Mensagens: 146
Registado: segunda mar 08, 2010 10:05 pm
Localização: faro

Re: O que se lê na imprensa....

Mensagempor TOUPEIRAS » quinta jun 10, 2021 8:22 pm

Lamento muito o pensamento que se tem desta atividade lúdica. Tenho 64 anos de idade e em toda a minha vida, incluindo o tempo do estado novo, tanta demagogia tanta restrição tantos interesses privados, tantas coisas que para um pequeno território se afigura não mau mas péssimo. Eu pessoalmente penso que a liberdade vai muito mais além do que se legisla em cima do joelho. Depois do 25 de Abril, reconheço que houve grandes abusos a este nível. Hoje em dia não me acredito que hajam autocaravanistas que prevariquem da legislação e da educação. Nunca vi nada em toda a minha vida de autocaravanista. Esta fase de pandemia obriga-nos a todos ter cuidados redobrados mas o meu pensamento é de que haja um aproveitamento da situação para implementar regras legislativas que vão de encontro a quem é fiel aos seus princípios.
Amigos, vamos lutar por uma modificação desta lei, dentro dos parâmetros atrás referidos.
VIVA PORTUGAL
Fiat ducato -ROLLER TEAM Granduca 64 - 2.8 JTD power
Avatar do Utilizador
TOUPEIRAS
 
Mensagens: 134
Registado: sexta fev 18, 2011 5:06 pm
Localização: SETUBAL

Re: O que se lê na imprensa....

Mensagempor time_out » terça jun 15, 2021 10:13 am

Autocaravanistas manifestam-se dia 26 em Lisboa contra proibição de aparcamento e pernoita

Uma das promotoras explica que o protesto se deve a alterações introduzidas no Código da Estrada que proíbem o aparcamento e a pernoita de autocaravanas fora de parques específicos.

Um grupo de cidadãos vai promover uma manifestação no dia 26 de junho entre o Parque das Nações e a Assembleia da República, em Lisboa, contra a proibição de aparcamento e pernoita de autocaravanas fora dos locais autorizados.

Em causa estão alterações introduzidas em janeiro pelo Governo no Código da Estrada, nomeadamente dois artigos, o 48.º e o 50.º-A, relativos à prática do autocaravanismo e que tiveram a oposição das associações do setor, tendo, inclusive, levado à apresentação no parlamento de uma petição com 7.886 subscritores.

Elisabete Desidério promoveu, através de uma página criada na rede social Facebook, um apelo a todos os autocaravanistas para que se juntem na marcha lenta contra o artigo que consagra a proibição de aparcamento e pernoita de autocaravanas fora dos locais autorizados.

De acordo com a promotora da iniciativa, o encontro está marcado para as 12h00 no jardim do Passeio dos Heróis do Mar, no Parque das Nações, seguindo depois em marcha lenta, pelas 14h00, em autocaravanas até à Assembleia da República, com parte do trajeto a dar duas voltas frente ao parlamento dado não haver como estacionar.

No texto, a promotora lembra que as autocaravanas anteriores a 2000 podem participar na manifestação visto que a sua circulação “só é proibida entre as 07h00 e as 21h00 dos dias úteis, no centro da cidade de Lisboa”.

Por isso, podem ficar mais descansados. Podem juntar-se a esta luta, que é de todos nós e lembrem-se: o meu sucesso também será o vosso! O número de autocaravanas vai fazer toda a diferença. Lutar é agora”, pode ler-se no manifesto.

Na página do Facebook, Elisabete Desidério explica que para si a autocaravana “é sinónimo de liberdade, natureza, lazer, prazer e vida”, frisando que com o artigo 50.º-A não tem liberdade de viajar para onde quer, “mas sim, em função de onde possa haver uma Área de Serviço para Autocaravanas [ASA]”.

“Fazendo uma viagem e não existir qualquer área própria para pernoita ou pausa para evitar a fadiga, não só coloco em risco a minha vida, a da minha família, bem como os demais utilizadores da via pública, além de que estou a ir contra as regras da segurança rodoviária”, refere.

Segundo Elisabete Desidério, limitar o aparcamento deste tipo de veículo a um só ponto é como “cortar as asas a um pássaro, é extinguir, por completo, o turismo itinerante”.

“É um atentado aos direitos e liberdades do cidadão. Estamos mesmo a falar de um artigo inconstitucional”, acusa, ao mesmo tempo que lembra que o Turismo de Portugal tem planos para dezenas de ASA, mas “ainda não estão prontas e grande parte dos parques de campismo não estão preparados para receber as autocaravanas” (espaços de 50 m2 como manda a portaria e estações de serviço eficientes).

Proibir o estacionamento durante o dia nas praias, como se viu no ano passado é retirar o direito a um espaço / um bem público de uma forma sectária, pois todos os outros proprietários de veículos ligeiros podem aceder”, sublinha.

Em 28 de maio, o parlamento discutiu, a pedido do PCP, propostas de alteração aos artigos do Código da Estrada que limitam o aparcamento e a pernoita de autocaravanas, que seguiram para debate na especialidade.

No seguimento da petição entregue no parlamento, PCP, BE, Verdes e PSD apresentaram projetos de lei próprios para modificar as alterações, que entraram em vigor em janeiro deste ano.

Na prática, os utilizadores de autocaravanas estão agora proibidos de pernoitar e de aparcar o veículo fora de locais expressamente autorizados, mesmo que para descansar durante o percurso.

O objetivo do Governo, como especificou a deputada socialista Jamila Madeira durante a discussão dos diplomas no parlamento, foi travar “o autocaravanismo selvagem” e alinhar com as boas práticas europeias.

Também no debate, o deputado Bruno Dias, do PCP, defendeu que se o regime de utilização de autocaravanas em Portugal antes era contraditório, agora ficou “absurdo” e destacou que o objetivo dos comunistas com o projeto de lei apresentado é simplificar e clarificar o quadro normativo do setor.

O PCP considera que o conceito de “pernoita” dentro destes veículos, introduzido pelo Governo, é “disparatado”, já que “coloca um veículo, a autocaravana, em infração ou não consoante a hora do dia ou da noite, a presença ou não de ocupantes no interior”.

BE e Verdes, acompanharam o PCP e sublinharam as dúvidas e confusões causadas pela nova lei, que, segundo o deputado José Luís Ferreira, do partido ecologista, obriga a que as autocaravanas, ao contrário dos restantes condutores de veículos ligeiros, “não possam sair numa área de serviço para descansar”.

Verdes e Bloco destacaram ainda que existem extensões de centenas de quilómetros onde não há “um único local de estacionamento que permita o aparcamento de autocaravanas”.

in Observador
https://observador.pt/2021/06/14/autocaravanistas-manifestam-se-dia-26-em-lisboa-contra-proibicao-de-aparcamento-e-pernoita/
time out

Hymer B SL614
(Sintra - Portugal)
Avatar do Utilizador
time_out
 
Mensagens: 1172
Registado: domingo nov 13, 2005 7:48 pm
Localização: Entre Belas e Sintra

Re: O que se lê na imprensa....

Mensagempor José Duarte » terça jun 15, 2021 7:09 pm

Boa tarde
Estou a ficar baralhado.
Estou a ler no Facebook várias altercações sobre esta manifestação.
Qual a opinião dos Companheiros?
Aguardo comentários para uma decisão.
Para já CPA, de que não sou sócio, é contra.
Saudações,
José Duarte
José Duarte
 
Mensagens: 130
Registado: domingo mai 04, 2014 2:05 pm
Localização: Linda-a-Velha

Re: O que se lê na imprensa....

Mensagempor Hugoft » quinta jun 17, 2021 12:25 pm

Boa tarde a todos,

Também gostaria de saber mais informações, pois se a mesma servir para ajudar a alterar a legislação atual, naturalmente que terei em consideração participar na mesma, mas gostava de saber a opinião de quem está mais dentro do desenrolar dos acontecimentos face à situação atual.
Cumprimentos

Hugo
Hugoft
 
Mensagens: 142
Registado: quinta nov 14, 2013 6:37 pm
Localização: Lisboa - Areeiro e Caldas da Rainha

Re: O que se lê na imprensa....

Mensagempor time_out » terça jun 22, 2021 6:34 pm

Câmara de Aljezur lança campanha para promover campismo e caravanismo «conscientes»

A Câmara Municipal de Aljezur lançou uma campanha para promover o campismo e o caravanismo «conscientes», colocando colocação de oito «mini outdoors que replicam a campanha lançada pela Região Turismo do Algarve sobre a rede de acolhimento ao autocaravanismo».

Segundo a autarquia, a campanha « pretende passar, de forma positiva, um apelo à utilização dos espaços licenciados para o efeito que no caso do Município de Aljezur»: o Parque de Campismo do Serrão, em Aljezur, e a recente Área de Serviço para Autocaravanas (ASA) “Francelho on Wheels”, em Tramelo, Alfambras.

Estes outdoors foram «estrategicamente colocados em locais de passagem para as praias e normalmente procurados para esta prática».

Imagem

Foi ainda lançado nas redes sociais deste Município, um pequeno vídeo ( https://youtu.be/2S-sWjXgS8s ) que pretende demonstrar o impacto da prática indevida do campismo selvagem e autocaravanismo, com «imagens que pretendem chocar», mostrando «o resultado destas práticas por pessoas mais “distraídas” e “menos cuidadosas” num bem comum, num Parque Natural, que deveria ser merecedor de um tratamento diferente».

«Bem sabemos que nem todo o autocaravanista e campista se retrata nesta fórmula e é por isso que apelamos ao combate desta marca negativa e práticas ilegais neste território», salienta a Câmara de Aljezur.

«Num momento em que foram conseguidos avanços importantes nesta matéria e na sua regulação, tais como o artigo 50.º do Código da Estrada e as tão ansiadas normas orientadoras para instalação das ASA no território do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina», «importa cada vez mais sensibilizar e também demonstrar que existem alternativas para os amantes destas modalidades, que promovem e potenciam o respeito pelo meio natural», conclui a autarquia.

in Sul Informação
https://www.sulinformacao.pt/2021/06/camara-de-aljezur-lanca-campanha-para-promover-campismo-e-caravanismo-conscientes/
time out

Hymer B SL614
(Sintra - Portugal)
Avatar do Utilizador
time_out
 
Mensagens: 1172
Registado: domingo nov 13, 2005 7:48 pm
Localização: Entre Belas e Sintra

Re: O que se lê na imprensa....

Mensagempor time_out » quinta jun 24, 2021 6:30 pm

Incêndio numa autocaravana no campo da feira em Esposende

Uma autocaravana ficou totalmente destruída após incêndio, esta quarta feira cerca das 7:10h, no campo da feira em Esposende.

Os Bombeiros Volunt6ários de Esposende deslocaram-se ao local com uma viatura de combate a incêndios urbanos e respectiva guarnição, onde encontraram a autocaravana toda tomada pelo fogo estando os seus ocupantes já no exterior.

“Não há vitimas a registar, apenas danos materiais” confirmou o adjunto de comando Júlio Melo, que esteve a comandar as operações.

A GNR de Esposende tomou conta da ocorrência.

Imagem

In esposende serviços tv
https://www.esposendeservicostv.com/ns/incendio-numa-autocaravana-no-campo-da-feira-em-esposende/
time out

Hymer B SL614
(Sintra - Portugal)
Avatar do Utilizador
time_out
 
Mensagens: 1172
Registado: domingo nov 13, 2005 7:48 pm
Localização: Entre Belas e Sintra

Re: O que se lê na imprensa....

Mensagempor time_out » sábado jun 26, 2021 10:49 am

"As pessoas devem ir para onde são bem recebidas. Eles é que perdem"

Sem poderem pernoitar nos parques de estacionamento e proibidos em muitas praias, os autocaravanistas sentem-se discriminados. Estava prevista uma manifestação neste sábado, adiada devido à pandemia.

As últimas alterações ao Código da Estrada retiraram a grande vantagem de viajar numa autocaravana: a liberdade de circular pelo país. Estão proibidas de estacionar nos parques de estacionamento durante a noite e há muitas praias onde nem sequer podem entrar.

Os autocaravanistas dizem que é inconstitucional, lançaram uma petição e hoje estava prevista uma manifestação entretanto adiada devido às medidas de confinamento. Os partidos da oposição apresentaram na Assembleia da República projetos de lei para permitir a pernoita nos parques de estacionamento, mas enquanto a lei não mudar, o melhor conselho é: antes de viajar, veja se os sítios que quer visitar têm parques específicos.

É o conselho que estão a dar, por exemplo, a Federação Portuguesa de Autocaravanismo (FPA) e a Associação Caravanista de Portugal (CPA). "As pessoas devem ir para onde são bem recebidas, se não nos querem, passem bem. Eles é que perdem", sublinha o presidente da CPA, Paulo Moz Barbosa.

Em viagem pelo país, estaciona a autocaravana em Entre-os-Rios para falar ao telefone. Passa das 21h00 e, segundo o artigo 50-A do Código da Estrada, em vigor desde 8 de janeiro, está em infração. O estacionamento entre as 21h00 e as 07h00 é considerado pernoita e é proibido. A opção são os parques de campismos e as áreas de serviço para autocaravanas (ASA), praticamente inexistente a sul do país.

"As regiões norte e centro são amigas dos autocaravanistas, têm estruturas de apoio e acolhem-nos bem. O Algarve e a Costa Vicentina são um caso sério", reclama Manuel Rosa Bragança, presidente da FPA. Considera que as "câmaras fazem uma deturpação grosseira da sinalização" e já meteram ações em tribunal contra as de Vila Real de Santo António e de Silves.

"Não podem usar sinalética que não esteja no Regulamento da Sinalização de Trânsito, aprovada na Assembleia da República e que é igual em Portugal e no estrangeiro."

O dirigente da FPA está em viagem por Espanha, onde diz existirem muitos parques específicos (como em outros países), uns gratuitos e outros pagos, mas nada que se compare com o que se gasta num parque de campismo em Portugal. Um dos exemplos é uma área de estacionamento própria junto ao Porto Desportivo de Almerimar, na costa de Almeria (na foto), com todas as condições, onde se pode pernoitar. Paga 12 euros por dia, metade do que pagaria num parque de campismo em Portugal.

Os autocaravanistas compreendem que tenha havido excessos, sobretudo com a pandemia a impedir as deslocações. Mas argumentam que se deve punir quem não cumpre. "Temos tudo numa autocaravana, tudo, não fazemos lixo. Proibir a pernoita não é a forma de acabar com os excessos e proteger o ambiente. Devem é punir quem não cumpre", diz Paulo Barbosa

A maior empresa europeia do setor é portuguesa, a Indie Campers (2 mil caravanas na Europa). As alterações ao Código da Estrada estão não só a limitar a adesão dos portugueses como dos estrangeiros.

Estrangeiros desistem

"Temos muitos estrangeiros a perguntar se não podem pernoitar em Portugal e não alugam. Ainda ontem, tivemos uma desistência de um holandês", lamenta Rodrigo Vairinhos, um dos três sócios da Hostel On Wheels. Na época alta, têm tantas reservas de portugueses como de estrangeiros, nos restantes meses, 70% são internacionais.

Odemira é um concelhos que abrange parte da Costa Vicentina e não tem estruturas públicas de apoio para as autocaravanas. Proíbe o estacionamento junto às praias, interdição que só é visível em cima da praia, tornando impossível fazer marcha-atrás em segurança e sem entrar no parque.

Um caso paradigmático é o da praia do Malhão (Vila Nova de Milfontes), onde se chega depois de percorridos 2,5 km de um caminho em gravilha sem que haja qualquer sinal de trânsito de proibição à entrada. Tem dois parques de estacionamento vedados aos autocaravanistas.

O DN questionou os responsáveis da Câmara Municipal de Odemira. O vice-presidente, Ricardo Cardoso, respondeu que tais proibições decorrem do Decreto-Lei n.º 24/2020 de 25 de maio. Acrescenta que não têm recebido reclamações, porque é uma decisão a nível nacional. Mas essa legislação visa medidas excecionais de combate à pandemia, não se referindo a veículos. "Estabelece o regime excecional e temporário aplicável à ocupação e à utilização das praias, no contexto da pandemia da doença covid-19, para a época balnear de 2020", refere o artigo primeiro.

Ricardo Cardoso acrescenta que têm sete parques de campismo e que lançaram concurso público para a concretização da área de Manifestação adiada

A situação de Odemira é a prova, segundo Elisabete Desidério, de que a decisão sobre o autocaravanismo não depende das autarquias. Comprou uma autocaravana no ano passado e aquela que seria uma "casa temporária", tornou-se a sua habitação e a do filho. "Inicialmente, foi por necessidade, mas uma pessoa acaba por se apaixonar por este modo de vida. É o nosso cantinho, a nossa independência, temos casa em todo o lado e o nosso jardim é o mundo", explica.

Faz parte do grupo criado nas redes sociais em junho de 2020: "Viver numa Autocaravana.pt", têm realizado ações de protesto e apresentaram uma queixa à Provedoria de Justiça contra o artigo 50. E estava marcada uma manifestação para este sábado em Lisboa e no Porto, que foi adiada devido às novas medidas de confinamento. A nova data provável de realização é 10 de julho, o que está dependente do confinamento no país.

Elisabete Desidério, que já foi sócia de uma associação, não se sente representada pelas estruturas existentes. "São pouco ativos e não há união no setor", lamenta. Além disso, não acredita que a lei seja alterada ainda neste ano e vão continuar com os protestos.

"Queremos retirar o artigo 50-A, o conceito de pernoita, e que seja esclarecido o que entendem por aparcamento. Em português, quer dizer estacionamento e o legislador entende que é acampamento. Não defendemos o acampamento", diz Elisabete Desidério.

Nisso, os três estão de acordo, mesmo que a FPA e a CPA não subscrevam a manifestação. Defendem: "Não acampamos. O acampamento só deve ser permitido em parques de campismo e quem não cumprir deve ser punido." serviço de autocaravanas de Santa Clara. E "vão ser disponibilizados sete parques de estacionamento, um por freguesia, com autorização para pernoita de autocaravanas".

In Diário de Notícias
https://www.dn.pt/edicao-do-dia/26-jun-2021/as-pessoas-devem-ir-para-onde-sao-bem-recebidas-eles-e-que-perdem-13877122.html
time out

Hymer B SL614
(Sintra - Portugal)
Avatar do Utilizador
time_out
 
Mensagens: 1172
Registado: domingo nov 13, 2005 7:48 pm
Localização: Entre Belas e Sintra

Re: O que se lê na imprensa....

Mensagempor TOUPEIRAS » domingo jul 04, 2021 9:35 pm

https://ibb.co/D4YkMnC
https://ibb.co/D434fYH

Isto aconteceu numa das vezes que dormi neste local e vejam o que os campistas deixaram!!!!
Fiat ducato -ROLLER TEAM Granduca 64 - 2.8 JTD power
Avatar do Utilizador
TOUPEIRAS
 
Mensagens: 134
Registado: sexta fev 18, 2011 5:06 pm
Localização: SETUBAL

Re: O que se lê na imprensa....

Mensagempor TOUPEIRAS » domingo jul 04, 2021 10:05 pm

Refiro-me a campistas selvagens e não autocaravanistas. Este pessoal tem problemas em levar o seu lixo, apesar de ter caixotes para o efeito, vejam bem a anarquia......as moscas agradecem! :shock:
Fiat ducato -ROLLER TEAM Granduca 64 - 2.8 JTD power
Avatar do Utilizador
TOUPEIRAS
 
Mensagens: 134
Registado: sexta fev 18, 2011 5:06 pm
Localização: SETUBAL

AnteriorPróximo

Voltar para Assuntos Gerais

Quem está ligado:

Utilizadores a ver este Fórum: Nenhum utilizador registado e 12 visitantes

cron